quinta-feira, 10 de maio de 2012



Êxtase: s.m. Arrebatamento do espírito; enlevo; contemplação do que é divino, sobrenatural, maravilhoso. [Dicionário Aurélio]


Noite de lua cheia, branda e fresca como quem prevê a arrebentação. Meio a perdidas luzes, lentas vozes e inúmeros suspiros. Leve respirar, suas cores exalavam um total descontrole de seus pensamentos, transcendia ao tudo mais que lhe rodeava, esquecia-se do mundo, do lado, dos problemas. Compensando todo mal que lhe aprouvera algum dia, todo medo caindo, todo silêncio sendo preenchido por aquele momento. Inundava-a, o brilho do palco, a Lua, a luz da janela, a lâmpada do quarto. Frações de espaço-tempo contadas à batidas, pré-cognições exacerbadas em certezas que tudo antes já lhe aparecera tal qual sonho ou nuvens formatadas em figuras conhecidas. Como tudo estivesse se amoldando para aquele lugar, para que pudesse viver a encenação de seu teatro-vida. Um ser lúdico, o abraço dos corpos, o destino acertado, o arrepio sentido, o prazer desfrutado. Atmosfera aprumada em sucessivos orgasmos sísmicos, de visão, de ouvidos, de pele, de sentimento, de destino, de sorrisos cantados, de desejos concretizados. E ela sabia que já não mais esqueceria de nenhum dos momentos, embora a certeza mesclasse dúvida em tamanha perfeição presenciada em tão curto tempo.

2 comentários:

Melanie Brown disse...

Show dos Los Hermanos né?! Ai... Eu sei, sei...

bia disse...

CHICO BUARQUEEEEE \o/