terça-feira, 6 de julho de 2010

# De volta pra mim;




"O futuro não é um lugar onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado, mas construído e o ato de fazê-lo muda tanto o realizador quando o destino."(Antoine de Saint-Exupery)


Faz pouco tempo que eu percebi que havia me desligado de mim mesma. Havia perdido o gosto por minhas paixões, por minhas vontades, por meus devaneios. Sabe, descobri que quando fico sozinha volto a ser aquilo que eu sempre fui. Aquilo que ficou escondido em meio a preocupações, problemas e estresses. Descobri que não sei bem o que realmente quero ser. Mas que a minha ambiguidade, minha sede de conhecimento, sede do mundo continua aqui, como uma chama que apenas tinha diminuido de intensidade. E sozinha, estou começando a me redescobrir.
Voltei a escrever, a ter aquela leveza que a muito tinha deixado pra trás. Minha menina interior, estava presa em um quarto escuro e finalmente consegui pintá-lo com cores, brilhos e afins. Deixei o sol preencher e levar toda a mágoa que restava.
Ainda estou tentando recolher o lixo, que - gigante - tenta sufocar-me. Mas estou buscando a calmaria, a minha paz interior. Bunscando filosofias, compondo a melodia da minha vida. Me reconhecendo, me amando, me preenchendo. Minha angústia se desprende de mim como um iceberg. Meu coração derrete o gelo, mas reveste-se de armadura com trancas internas. Apenas eu posso me desvendar. Me fecho ao externo. Construo minha fortaleza. Disparo minhas flechas para não me machucar. O ataque fica pronto, felino, feroz, contra quem tentar desviar-me da minha rota.
E assim, caminho rumo a felicidade.
Com a leveza de quem abandona o que não já faz bem. Com a certeza de quem não quer mais sofrer. Com a plenitude de quem quer se descobrir. Com a excitação do novo.
E volto para mim mesma. Para meus livros, minhas poesias, meu café, minhas músicas e meu sentimentalismo. E me busco incansávelmente. Até me achar.


"Eu vejo a vida melhor no futuro (...)O tempo voa, escorre pelas mãos mesmo sem se sentir. E não há tempo que volte, vamos viver tudo o que há pra viver. Vamos nos permitir!" (Lulu Santos)

;*

Um comentário:

Carol disse...

-Vamos nos permitir, sim!

=DDD

Lindo seu blog. Lindo o que escreve nele.

Beijos